Namoro de série

Uma vida amorosa e sexual bem triste. E um rapaz que me dá atenção.

2020.11.08 06:49 sad__cloud Uma vida amorosa e sexual bem triste. E um rapaz que me dá atenção.

*ATUALIZADO
*conta descartável
**Texto longo porém separado por parágrafos e bem escrito <3
***Talvez eu devesse postar isso no DeadBedrooms mas não me sinto com emocional para traduzir tudo para o inglês.
****Edits: concordância, erros gramaticais
*****Tudo que foi feito fora de casa foi com máscara e muito álcool em gel!
Namoro faz quatro anos. Cursamos o mesmo curso, mesma faculdade, mesma turma, mesmos colegas de sala. Ele é três anos mais novo que eu (tenho 25).
Meu namorado tem muitos defeitos. Muitos mesmo. Mas muitas qualidades também, que eu admiro e simplesmente amo. Colocando na balança, essas qualidades pareciam compensar os defeitos e decidi tolerá-los. Mas sabe quando esses defeitos aparecem com tamanha frequência e com tamanha intensidade que as qualidades simplesmente desaparecem? Então.
Moramos juntos, um cantinho alugado. Ele pediu demissão do estágio por odiar o serviço (e agora decidiu que odeia o curso também) e como recebe mesada dos pais, fica tranquilo. Eu ralo no estágio e pra dar aquela complementada na renda, comecei a vender bolos no meu bairro.
Meu namorado sempre reclamou do curso. A ponto de chorar de desespero de madrugada. Como fazemos trabalhos juntos, sempre tenho que dividir meu tempo entre fazer de fato o trabalho e consolá-lo (e nesse momento ele para a produção dele totalmente e no final eu sempre termino o meu para ajudá-lo). É o tipo de situação que nenhum conselho está bom. Nada que eu diga ajuda. Ele já me acusou de dar mais atenção aos trabalhos do que para ele. Esse ano, após uma briga colossal, ele resolveu procurar ajuda psicológica.
Sobre sexo, ele não existe mais, atualmente. E quando existe é com uma qualidade tão ruim (pra mim)... Como tirei a virgindade dele, achei que com o tempo e com a minha ajuda, ele melhoraria. Nunca melhorou. E se comento sobre algo que não me deixa feliz, ele diz que faz de tudo para me agradar e não sabe mais o que fazer pq eu sou muito difícil e fica bastante nervoso. Então desanimei de comentar qualquer coisa. Finjo que atingi o orgasmo só para ele gozar logo e terminar tudo. Quando eu o procuro na intenção de eu iniciar o ato e aí quem sabe controlar um pouco mais a situação ao meu favor, ele faz birra. Não vai continuar se eu não fizer tudo.
Faz uns seis meses que notei que ele estava me procurando bem menos e tentei criar uma situação para transarmos. Calhou de ele me falar que não sentia vontade de transar por estar se masturbando demais. Conversei sobre como uma vida sexual é importante para um casal e que seria bacana ele diminuir a frequência que ele assiste pornô (e ele assiste com muita frequência).
Eis que ele abre o celular e mostra que ele tá usando algumas fotos de usuárias do Reddit como material para masturbação. Nem cheguei a ver de que sub era pq meus olhos encheram de lágrimas muito rápido. Dei uma desculpa qualquer e fui chorar no banheiro, coisa que eu não faço desde a sexta série. Eu não sei dizer exatamente a diferença entre o pornô e uma foto, mas eu me senti humilhada como poucas vezes na minha vida.
Tenho uma amiga muito querida que, lá por março, de aniversário, me deu um vestido que eu queria muito (e que era bem caro. Meu namorado me deu uma noite frustrante de sexo). É um vestido azul que faz eu me sentir uma princesa. Como em agosto foi aniversário dela, fiz um bolo surpresa e fui entregar para ela a pé. Ela mora em um conjunto de prédios a quinze minutos (a pé) do meu cantinho. Lá fui eu, meu vestido azul e a cesta que eu uso para levar os bolos por aí. Ela tirou uma foto minha e divulgou no grupo do prédio. Viralizei!
Eu nunca vi TANTA encomenda e TANTO dinheiro aparecendo na minha frente. Chamei meu namorado para me ajudar a dar conta de tudo, prometi ensinar ele a fazer com a maior paciência.
Ele negou. E reclamou que meu cabelo andava muito feio. Meu cabelo é cacheado e eu o pinto de ruivo, então ele anda realmente um pouco judiado. Pra variar, me senti muito triste. Jurei que daria conta de todas as encomendas e com o dinheiro que sobrasse eu daria um trato no cabelo.
Dei conta? Dei. Virei noites? Sim. Gastei 1/8 do que ganhei comprando produtos de cabelo. Essas coisas são caras mas fiz minhas contas e considerei que seria uma compra prudente e que não nos afetaria economicamente no futuro. Em duas semanas eu estava amando o resultado. Me sentia mais bonita e preparei um jantar e comprei um vinho, decidida a mudar a nossa vida sexual.
Meu namorado comeu tudo correndo pois tinha um RPG marcado com não sei quem. A garrafa de vinho nem deu tempo de abrir.
Sabe o seu valor? Naquela hora eu sentia que tava valendo menos que a poeira do tapete da sala. Valendo menos que as meninas desconhecidas do Reddit.
Mas as encomendas de bolo no prédio da minha amiga continuavam. E como fiquei famosa com o vestido azul, fiz dele meu uniforme já que ia uma vez por semana lá entregar e todo mundo passou a me reconhecer com ele.
Um dia recebi um pedido de bolo de cenoura com chocolate de um apartamento Y que nunca tinha ido. Fiz tudo, como de praxe e no dia da entrega, quem me atendeu foi um rapaz com um sorriso tão imenso que eu cheguei a ficar sem graça. Quem encomendou de fato foi a avó dele, e da porta mesmo ele chamou dizendo "Vó, a moça gracinha veio trazer o seu bolo!"
Eu não sei dizer a quanto tempo não recebo um elogio. Mas o gracinha foi o suficiente pra eu me atrapalhar toda na hora de entregar o bolo. Quase saí correndo de nervoso. Atendi a vizinha do andar de cima e ela tinha perguntado se eu havia entregado no apartamento Y, pois a senhora que morava ali era amiga dela. Respondi que quem atendeu foi o neto e ela rasgou elogios, que ele era um doce de pessoa e que havia ajudado ela a instalar algumas lâmpadas na semana passada.
De setembro para cá eu entreguei bolo todas as semanas no apartamento Y. E o tal do neto, que é meses mais velho que eu, sempre estava lá para me receber. Já me convidaram para tomar um cafézinho (aceitei) e para o almoço (recusei). Semana passada, fui convidada novamente para o almoço, dessa vez pelo neto. Em um horário que a avó dele não estava em casa (não faço ideia de onde ela poderia estar nessa pandemia). Confesso que recusei para não cair em tentação.
Ontem tentei novamente uma surpresa para quem sabe transar com o meu namorado. Não deu certo. E dessa vez o porque foi que eu estou sempre ocupada e nunca dou atenção para ele. Discutimos e eu chorei, nunca me senti tão sozinha mesmo estando em uma relação. Fui dormir e ele foi jogar.
Hoje fiz mais uma entrega no apartamento Y. O neto estava fazendo faxina na casa, mas me recebeu. Quando pedi para ele segurar a cesta para que eu retirasse o bolo, ele se aproximou e colocou o nariz no meu cabelo, dizendo baixinho que eu era muito cheirosa. Eu agradeci e ele sugeriu de irmos tomar um café (em um café de fato), assim que acabasse a pandemia e que ele conhecia um ótimo lugar. Eu não aceitei e nem neguei (famoso "vamos ver hahaha"), mas voltei para casa muito abalada.
A verdade é que não vejo mais futuro para o meu relacionamento e estou exausta de me sentir sozinha dentro de um. Cansada de ser a única a tentar. Se eu tivesse uma relação sexual com o meu namorado eu não sei nem como reagiria, pois essa chateação toda me fez perder toda e qualquer atração que já tive por ele. As vezes acho que tento para no final de tudo pensar "pelo menos eu tentei".
Meu namorado foi rejeitado anteriormente por uma garota que ele amava e isso o deixou um ano de cama. Meus sogros me tratam muito bem e quase me endeusam, e as vezes acho que é por isso que ainda não tomei uma atitude. Gosto muito dos meus sogros, não quero chateá-los. Tenho medo que meu namorado fique de cama por minha causa também. Estamos tão próximos de concluir o curso que não quero me sentir responsável se ele jogar tudo para o alto caso eu termine. Não quero, caso o curso volte presencialmente, ter que encontrá-lo todo dia e ainda bagunçar nosso círculo de amizades em comum.
Por outro lado, eu me sinto tão ansiosa, tão pedinte por contato. Queria um abraço. Um beijo. Um carinho que faz arrepio. Uma noite de sexo. O cara do apartamento Y parece um sonho e pelo que sondei do condomínio, ele é tranquilo, faz as tarefas domésticas pela avó, concluiu o curso, trabalha (agora em home office) e já comentaram que ele é caidinho por mim. Sempre que faço uma entrega e ele está sozinho é um deus-me-acuda, quase um teste de fidelidade. Cada mensagem no whats pedindo uma encomenda ou perguntando que horas farei a entrega faz o meu coração bater rápido.
Me sinto errada por querer outro cara, de querer tentar uma possibilidade que pode dar muito certo. Sei que possivelmente a carência tá me fazendo fantasiar muito a situação toda, mas não consigo evitar. Não quero trair meu namorado mas não sei por quanto tempo mais aguento esse deserto de relacionamento.
Conselhos?
ATUALIZAÇÃO: Sentei essa noite e coloquei as cartas na mesa. Falei sobre como eu me sentia só, sobre ele sempre me trocar por qualquer coisa (pornografia, jogos, amigos) e que eu não vejo outra solução a não ser encerrar nossa relação.
Ele ficou mais chocado do que eu achei que ficaria e disse que nosso relacionamento não parecia ter nada de errado. Pontuei vários casos (os citados aqui no texto e outros) e ele ficou na defensiva, negando tudo ou dizendo que "não era isso". Perdi a cabeça e comecei a falar que qualquer cara que me olha na rua me dá mais atenção em um olhar do que o que ele anda me dando dentro do relacionamento.
Ele abaixou a cabeça e ficou quieto e sei que é nessas horas que eu fraquejo e volto atrás em tudo que disse. Ele me perguntou se ele nunca me fez feliz e eu disse que não era o caso. Ele prometeu mudar, mas quando nos reconciliamos várias vezes de várias outras discussões ele sempre me prometia a mesma coisa, então eu disse que não conseguia mais acreditar e nem ter mais vontade de tentar.
Ele pegou algumas coisas e chamou um Uber. Por mensagem só disse que ia para os pais dele e que não me responderia por um tempo. Ok, entendo, sem problemas.
Faz quase duas horas que minha sogra me mandou mensagem dizendo que ele chegou lá muito abatido e perguntando o que aconteceu. Eu não respondi e pra ser sincera, nem quero papo. Ainda me sinto muito responsável por ele estar mal agora, mas ele tem que aprender a lidar com isso. E eu também tenho que aprender.
Obrigada pelas mensagens carinhosas e pelo apoio de todos.
submitted by sad__cloud to desabafos [link] [comments]


2020.10.24 23:34 ms-phoenix Fim de relacionamento durante a pandemia

Sai de um relacionamento abusivo para me relacionar com alguém que eu acreditei ser o amor da minha vida. Nos primeiros meses (nessa mesma época, só que em 2019) foi tudo incrível, tudo maravilhoso e foi assim até o início da pandemia.
Eu e meu namorado (agora ex) tínhamos uma vida social ativa que se foi totalmente por conta do isolamento social. Eu sabia que isso iria afetar negativamente nosso relacionamento, então, desde abril insisti para fazermos algo diferente para não deixar o relacionamento cair na rotina.
Ele é um cara muito legal, mas é super preguiçoso, apesar de trabalhar, não faz mais nada além de fumar cigarro (o que eu odeio) e maconha (que eu gosto, mas sem exageros) e dormir o dia inteiro, o final de semana inteiro.
Dito e feito: o namoro caiu na rotina. E DETALHE: nós trabalhamos juntos, ele é meu líder imediato na empresa, o que só piora tudo. Não fazíamos nada além de trabalhar nos dias de semana, e no final de semana fumar maconha e assistir série desde o inicio do distanciamento social.
Eu sempre insisti para começarmos a praticar algum esporte, sair pra acampar, fazer trilha ou QUALQUER outra coisa que não envolvesse ficar chapado trancado dentro do quarto o final de semana inteiro e sempre tinha uma desculpa pra não acontecer isso.
Domingo tivemos uma conversa séria sobre isso e eu disse que não estava feliz, ele jurou que ia mudar, que ia ser mais ativo, que ia encontrar um hobbie e que iria diminuir o consumo de erva porque viu como me fez bem ficar sem (eu estou outubro inteiro sem maconha, álcool, carne, açúcar e redes sociais e me curei de um quadro de depressão por conta desse “detox”).
Quarta feira, sem mais nem menos, me chamou no intervalo do almoço, terminou comigo e me mandou voltar a trabalhar, enquanto foi pra casa chorar. (???)
Eu fiquei bem incrédula, mas não fiquei mal porque já não estava feliz com o relacionamento.
Acontece que em 3 dias desde o término ele já encontrou um novo hobbie, saiu de casa para se divertir e hoje saiu para acampar (com a barraca que compramos juntos e nunca usamos por conta das desculpas).
Eu tô triste, com raiva e me sentindo humilhada, porque, lembram que eu falei que eu saí de um relacionamento abusivo antes de namorar com ele? Então, eu não tenho amigos. Não tenho com quem conversar, com quem sair, com quem ter contato.
Eu me dediquei totalmente a esse relacionamento, sempre fiz de tudo por ele e no primeiro final de semana após terminar comigo, ele faz todas as mudanças que eu venho pedindo há 7 meses.
A história tem muito mais detalhes, que eu não vou nem mencionar pra não deixar o texto mais gigante do que já ficou, mas cara, que situação merda. Tô malzona.
TL;DR: insisti meses em mudanças que fariam bem pro nosso relacionamento e ele só mudou depois de terminar comigo.
submitted by ms-phoenix to desabafos [link] [comments]


2020.10.14 03:54 _-addicted-_ Agradeçam por poderem terminar um namoro

Terminei um namoro com uma pessoa que gostei bastante, fiquei muito tempo mal por isso.
Hoje, conversando com uma instrutora de exercícios que faço, percebi que tive sorte de poder terminar um namoro.
Ela me contou do namorado de 6 anos que ela teve. Ele morreu de câncer 1 ano após descobri-lo. Contou porque faz um ano que ele faleceu.
Fiquei muito triste por ela. Fui ver seu Instagram e é de dar dó. Chorei vendo aquilo. Uma série de fotos com ele careca e ela pedindo oração para ele em cada foto. Dizendo que o ama em cada foto. De repente, são só stories de fundo preto e músicas tristes.
Percebi que tenho sorte de poder voluntariamente me afastar de uma pessoa. Agora só me vem em mente o quão doloroso deve ser perder alguém enquanto o ama.
submitted by _-addicted-_ to desabafos [link] [comments]


2020.09.28 04:41 peemattioli Saí no braço com o pai da minha namorada na ceia de natal

Desabafo
Namoro com ela já fazem 8 meses, nesse tempo fui na casa dela umas 10 vezes no máximo, passando sempre menos de meia hora. O motivo = o pai cuzão.
Mais quando eu falo cuzão, é cuzão mesmo, o cara sempre me esnobou, das vezes que nos cruzamos o maluco fez questão de me fazer eu me sentir um merda, me humilhar e tripudiar.
Além do fato de eu namorar a filha dele, o outro motivo pelo qual ele me odeia é aquela clássica diferença de classe.
Não sou pobrão, mas meu trabalho não é la essas coisas e eles são de família rica, gerações e gerações de engenheiros e tal, rios de grana. Daí beleza o maluco achar que eu to ali por causa do dinheiro já é um motivo escroto, tendo em vista que a filha é linda, e se não fosse rica eu olharia do mesmo jeito, mas já fazem oito meses, custa o maluco levantar bandeira branca e ficar em paz?
Então, minha família foi viajar pra casa de uns parentes... eu trabalho, não pude ir. Quando você namora, e sua namorada não curte seus amigos, inevitavelmente você se afasta dos caras. É o famoso "ou eles ou eu".
Sem família,distante dos amigos, não tinha outra alternativa a não ser ficar com ela no natal.
Eu odiei a ideia, lógico, mas ela insistiu, disse que não tinha problema e que tudo ia acabar bem, Ô.
A TRETA - Vamos pular pra ceia,
Já podem imaginar que o sogrão gente boa além de não olhar na minha cara, fez questão de mandar indiretas, a fim de humilhar este fodido que vos fala, com uma série de acontecimentos.
Primeiro acontecimento: A empregada servindo todo mundo,chegou na minha vez ele interrompeu a mulher, falou pra ela deixar os negócios em cima da mesa lá que eu sabia me servir sozinho, que tava acostumado com self-service.
Imagina aí já minha cara de lixo.
Minha namorada fez um olhar de tristeza e me serviu, eu pensei em outras coisas, tentei relevar.
Segundo acontecimento: Meu telefone tocou, minha mãe querendo dar feliz natal, fui atender na inocência, ele deu UM SOCO na mesa, - VOCÊ NÃO SABIA QUE ISSO É FALTA DE EDUCAÇÃO NÃO? "MALANDRO".
Essa minha mãe ouviu, levantei da mesa e fui falar com ela. A essa altura vocês já imaginam o quão puto eu tava, foda-se a ceia, foda-se tudo, nem fome eu tinha mais.
Minha namorada deu uma disfarçada, perguntou quem era, falei baixinho que era minha mãe.
Daí o filho da puta TINHA que fazer piadinha com a minha mãe né caras,
Quando ele ouviu fez o comentário,d essa vez direto pra mim:
Não dava mais, eu ia me sentir um BOSTA pro resto da vida se eu não quebrasse os dentes dele ali mesmo.
Tá bom que ia acabar o namoro, que ia acabar com o natal da família, mas ofender assim alguém que nem tá ali pra se defender, ser motivo de gracinha praquele lixo de pessoa.
Toquei o foda-se, não lembro exatamente as palavras porque tava muito nervoso, mais foi mais ou menos isso:
-ESCUTA AQUI Ô SEU MONTE DE BOSTA, VOCÊ QUERER TIRAR COM A MINHA CARA JÁ DURANTE 8 MESES É UM BOM MOTIVO PRA EU TE QUEBRAR, AGORA OFENDER A MINHA MÃE SEM MAIS NEM MENOS. Então ele gritou: -FALA BAIXO, SEU FAVELADO e jogou o copo em mim, acertou meu braço.
Imagina o caos que tava essa mesa, namorada tentando me segurar, a esposa puxando ele e a irmã dela autista chorando.
Eu naquele ódio já tava disposto a matar ele ali mesmo. Ele veio, dando a volta na mesa igual um touro pra me pegar, eu firme encarando ele, enquanto ele vinha eu via a janela da sala de jantar grande de fundo.
Vi o que parecia ser uma aeronave não tripulada pequena passando rápido, logo atrás uma espécie de exoesqueleto metálico armado com uma metralhadora, de repente, um estrondo ensurdecedor seguido de um clarão. Era o início da era das máquinas.
submitted by peemattioli to copypastabr [link] [comments]


2020.09.24 02:58 Quirky_Leadership351 Jardins do Imperador: Apresentação

Normalmente quando um livro é adaptado para a televisão ou cinema, nos surpreendemos com a forma que os personagens e lugares são retratados. Isso acontece porque ao lermos, imaginamos cada detalhe do livro a nossa maneira, o que nem sempre condiz com o que o autor tinha em mente.
Imaginamos como seria a fisionomia de cada personagem, a cor de seus olhos, altura, cor da pele, cabelo e tantos outros detalhes. Imaginamos também como seriam os lugares em que vivem, estudam, trabalham, e muitas vezes nos colocamos até no lugar desses mesmos personagens, como se estivéssemos dentro das histórias e vivendo cada situação descrita no livro.
E essa é a magia da leitura: poder imaginar cada detalhe de uma história. Existem livros que descrevem cada personagem e lugar, mas às vezes o que nós realmente queremos é criar cada um desses detalhes a nossa maneira. Imaginar que o personagem com o qual mais nos identificamos se parece exatamente como nós; que o interesse amoroso desse personagem tem a mesma aparência da pessoa de quem gostamos. Colocamos amigos e familiares no lugar de outros personagens da história, para assim nos sentirmos mais próximos e atraídos a essa fantasia.
No fim esse é o diferencial dos livros da saga “Jardins do Imperador”. Focados totalmente nos diálogos, os livros narram situações da vida dos adolescentes, mas dando a liberdade ao leitor de criar esse mundo a sua própria maneira. Momentos como festas, namoros, viagens, o primeiro amor e a primeira vez são descritos de forma que fazem com que o leitor se sinta lendo a sua série de televisão favorita. Nos dias de hoje, em que séries de televisão se tornam fenômenos rapidamente e tem uma influência tão grande sobre os jovens, livros que sigam esse formato podem ser exatamente o diferencial a atrair ainda mais jovens a leitura.
Afinal muitos deles estarão passando exatamente por essas situações, uma vez que o foco principal dos livros são pré-adolescentes que estão entrando nessa fase tão intensa que é a adolescência.
Mais do que entrando nessa nova fase, muitos estão entrando também nesse mundo da leitura, procurando histórias com que se identifiquem e que sejam fáceis de ler. Que pessoa aos 14 anos não fica feliz ao terminar seu primeiro livro e ver que o leu de forma tão agradável e rápida. Assim como qualquer primeira experiência, a leitura dos primeiros livros de qualquer pessoa tem que ser prazerosa e feita de maneira simples, gradativa, para que aos poucos a pessoa vá pegando gosto por essa arte que é ler e sinta vontade de explorar outras obras e autores.
Acredito que todos apreciarão essa obra, a lendo com os olhos de uma pessoa que está passando pelas mesmas situações descritas no livro. O primeiro volume da saga Jardins do Imperador já pode ser adquirido por R$6,90 pelo site da editora: https://www.editoravidgam.com/
submitted by Quirky_Leadership351 to u/Quirky_Leadership351 [link] [comments]


2020.09.24 02:54 Quirky_Leadership351 Seriado em forma de livro

Já imaginou ler o seu seriado favorito? Algumas editoras tornam isso possível através de livros com histórias direto dos principais seriados de televisão. O único problema é que normalmente os episódios são simplesmente os roteiros de episódios já televisionados, o que acaba com a surpresa para os fãs que já acompanharam as histórias pela televisão ou streaming.
Pensando nisso, uma editora de ebooks decidiu lançar diversos livros que seguem o mesmo formato dos principais seriados de televisão, porém com histórias e personagens nunca antes vistos. A saga Jardins do Imperador conta a vida de um grupo de amigos que vive no mesmo condomínio em Melbourne – Austrália, e acompanha diversos momentos em suas vidas. Da adolescência a maturidade, as histórias descrevem momentos como o primeiro amor, festas, colégio, universidade, o primeiro beijo, a primeira vez, namoros, casamentos, acidentes, despedidas. Ou seja, tudo que não pode faltar em uma boa história.
O primeiro volume da série se chama “Descobrindo o Amor” e foi lançado há poucas semanas no Brasil. O volume apresenta os personagens Luke, Julian, Zach, Mandy e Kim, e começa a acompanhar a vida de cada um através de uma narrativa simples por se apoiar no formato de roteiros e seriados.
O primeiro volume pode ser comprado por R$6,90 pelo site: https://www.editoravidgam.com/
Os demais volumes da saga têm lançamento previsto ainda para esse ano.
submitted by Quirky_Leadership351 to u/Quirky_Leadership351 [link] [comments]


2020.09.14 13:44 JustCallMeLyraM8 GT DA BROTHERAGEM

GT DA BROTHERAGEM
/cc/
>eu tenho um amigo bem próximo
>amigo não
>ele é tipo um irmão
>amo aquele filho da puta
>vamos chamar ele de Maicão
>nos conhecemos no jardim da infância
>dividíamos o todynho e o biscoito passatempo no recreio
>bolachaéocaraio.mp3
>estudamos na mesma turma até a quinta série quando os pais dele se mudaram pra longe da escola
>ele continuava morando na mesma cidade, mas tava numa escola diferente
>ainda assim nos víamos todos os fins de semana
>nossas famílias se tornaram amigas também
>tudo era um mar de rosas até o final de 2004
>ano 2005
>entra uma aluna nova na minha turma
>o nome dela era Thais
>lembro como se fosse ontem do momento em que ela entrou na sala
>tudo parecia ter ficado em câmera lenta
>o sol batia nela
>o ventilador soprou seus cabelos
>ela marchava como uma égua manga larga do trote formoso
>paudureci naquele exato momento
>o foda é que eu tava em pé naquela hora e a primeira aula era de educação física
>short.gif
>todo mundo da sala começa a rir de mim e a gritar
>me chamaram de pau retrátil porque foi só a menina aparecer que ele subiu
>morri de vergonha naquela hora
>sentei na cadeira e pus a mochila no meu colo
>eu só queria sumir
>até a professora riu
>mas a Thais não
>ela sentou atrás de mim e disse pra eu não ligar pra eles e que eu ficava lindo com vergonha
>caraio vei não pude acreditar
>eu era tão tímido que pedi pra ir no banheiro na mesma hora e fiquei trancado lá até a hora do recreio
>quando o recreio chegou eu pus o dedo na goela na frente da sala dos professores
>acho que vomitei até meu intestino naquela hora
>comecei a dizer que tava passando mal
>os professores me liberaram da escola e fui pra casa mais cedo
>chego em casa e passo a tarde toda tendo fantasias masturbatórias com a Thais
>eu era tão beta quanto aqueles peixes de briga
>quando a noite chega eu corro pra casa do Maicão
>conto tudo pra ele feliz da vida
>Maicão fica feliz por mim
>brodagem.rar
>segue o jogo
>durante o resto do ano eu iria me aproximar cada vez mais da Thais e me afastar cada vez do Maicão
>ele dizia que ela tava me afastando dele mas eu discordava
>dizia que era coisa da cabeça dele
>o tempo passa
>a Thais é promovida à pitanguinha e a distância entre mim e meu brother ia aumentando cada vez mais
>um dia briguei feio com o Maicão quando ele disse que ela tava cmg só por conta do meu dinheiro
>eu não era rico, mas da escola eu era o mais bem de vida
>meu pai era o único que não tava preso e não trabalhava com drogas
>minha mãe não trabalhava na zona
>zoas ela trabalhava sim
>ela agenciava a tua mãe, aquela puta boqueteira
>zoas de novo, minha mãe era artista plástica
>um dia eu acabo falando pra Thais que o Maicão tava se sentindo escanteado
>ela começa a me dizer que era inveja do nosso relacionamento e que ele só queria nos separar
>acabo dando ouvidos a ela e brigando feio com ele
>putaquepariuqueburrice
>nunca devia ter dado ouvidos à ela
>foco no gt
>paro de falar com o Maicão e cada vez mais me entrego pra a Thais
>toda semana era cinema
>lanche na Mc Donald’s
>roupa na Marisa
>minha mesada começou a ser exclusivamente dela
>um belo dia recebo uma mensagem do Maicão dizendo que a Thais tava me traindo
>respondi mandando ele tomar no cu
>ja faziam uns 5 meses que eu não falava com ele e do nothing ele vinha com um papo desses
>ele disse que eu devia ficar atento aos sinais
>não dou a foda pro que ele diz e continuo o namoro
>na semana seguinte vejo ela com uma marca roxa no pescoço
>ela diz que tinha caído da escada
>eu disse que acreditei mas fiquei desconfiado
>nada me tirava da cabeça oq o Maicão tinha me dito
>procuro ele e conto oq aconteceu
>diferente de mim ele não era um filho da puta
>Maicão me ove e depois me conta tudo que sabia
>a Thais tinha vindo da escola em que ele estudava
>ela era conhecida como viúva negra na escola
>ela se prendia à um macho e sugava tudo dele até ele não ter mais nada
>sim, ela tmb sugava o pau
>não, ela não tinha sugado o meu ainda
>Maicão continua a história dizendo que tinha visto ela saindo da casa de um carinha que morava no mesmo bairro dele
>até aí não vi nada demais
>mas ele me disse que ela tinha dado um beijo na boca do cara na saída e quando virou de costas o cara deu um tapa na bunda dela
>ÉOQ?!
>aquela vadia não tinha nem sequer me deixado pegar na bunda dela ainda
>dizia que era só depois do casamento
>eu era beta betoso full +15
>ela me levava pra igreja todo domingo
>acreditava nela sem questionar
>caio no choro e o Maicão me consolou
>disse que eu não tava sendo um bom amigo mas que ele nunca deixou de me ter como irmão
>bolamos desmascarar ela juntos
>ela ia pra casa dele toda sexta de noite
>realizo que era a hora que a mãe dela saía de casa pra ir pro culto de oração da igreja
>caraio_como_sou_burro.jpeg
>chifre.rar
>no dia seguinte falo com a Thais como se nada tivesse acontecido
>ela diz que me ama
>digo que amo ela tmb
>caraio, eu queria matar ela ali naquela hora
>mas amava aquela desgraçada
>feelsbad.png
>sexta feira
>19h
>tava com o Maicão escondido na rua da casa dela
>avistamos a mãe dela saindo de casa
>corremos pra mãe e contamos a história
>mãe não acredita, mas topa ir com agnt até a casa do talarico
>19:30h
>Thais sai de casa com um short enfiado no cu
>pqp pra quê enfiar tanto ssaporra?
>tava tão fundo que ela devia ta sentindo do gosto dele
>seguimos ela de longe
>a vadia entra na casa do moleque
>nessa hora a mãe dela já queria matar ela, mas eu fiz ela esperar
>entrei dando um chutão na porta da frente
>queria pegar ela com a boca na botija
>e consegui
>infelizmente a botija em questão era a rola do cara
>ela tava engolindo o pau daquele moleque com uma facilidade absurda
>nem sua mãe consegue engolir minha piroca tão fácil
>foco no gt
>Thais leva um susto tão grande na hora que morde o pau do cara
>num ato reflexo por conta da dor o cara da um murro na cara de Thais
>ela cai no chão
>a mãe dela comeca a bater nela com uma havaianas e depois começa a arrastar ela pelos cabelos pra fora de casa
>a Thais é arrastada pela rua até chegar em casa
>racho o bico com a cena como mil hienas comemorando a morte do Mufasa
>peço perdão pro Maicão pela cagada que fiz
>Maicão diz que fui um idiota, mas que era o irmão dele e que nada iria nos separar
>dois dias depois Thais chega na escola toda roxa
>tinha apanhado tanto que o conselho tutelar tirou a guarda dela da mãe
>ela chega perto e diz que quer falar CMG
>ignoro
>ela me puxa pelo braço, olha no meu olho e diz:
>como vc descobriu?
>digo que o Maicão me contou tudo
>ela diz que vai pra um orfanato hoje. Só foi na escola buscar sua transferência.
>Kkkkkjkkjjjk
>ela diz que eu posso rir agora, mas quem ri por último ri melhor. Disse também que nunca iria esquecer aquilo e que o Maicão iria pagar por ser x9
>puxo meu braço, dou as costas e vou embora
>ano 2016
>terminei a escola e faço faculdade
>Maicão faz o mesmo curso que eu e estudamos na mesma turma novamente
>full brothers +15
>desde o episódio com a Thais nunca mais tínhamos brigado
>trabalhávamos, tínhamos nossa independência
>tudo ia bem até recebermos o convite para uma festa que rolaria naquela noite
>eu e o Maicão dividiamos o apartamento agora
>o convite veio por baixo da porta dentro de um envelope
>open_bar.jpeg
>o envelope vinha com 2 pulseiras
>as pulseiras davam acesso à área vip da festa onde rolaria os alcoolismo
>ficamos relutante por um momento até abrirmos a carta
>a carta tava endereçada à mim e ao Maicão
>era uma letra de mulher
>não tinha muita informação só dizia que não deviamos perder a festa por nada e que lá tudo seria explicado
>não tinhamos nada à fazer então topamos
>22h
>party.time.jpeg
>logo de cara fomos recebidos por duas loiras peitudas que estavam de camisa branca
>ambas estavam dançando na entrada da festa enquanto se molhavam com uma mangueira
>séélococuzão.rar
>a festa tinha uma proporção de 4 depósitos para cada homem
>a cada dois homens, um era gay
>era tipo o plenário da câmara dos deputados só que ao contrário
>quando entramos no salão principal todo mundo virou pra a gente
>tipo aquela cena do universidade monstro
>as depósitos cochichavam entre elas
>pensamos que tinha algo errado conosco mas a vdd é que éramos os caras mais lindos dali
>na vdd nem éramos isso tudo, mas tínhamos rola e éramos heterossexuais
>feelsalpha.png
>fomos andando até a área vip
>a decoração da festa era cheia de fotos de uma depósito
>era uma ruiva 10/10
>a festa devia ser dela
>tive a impressão que ja tinha visto ela em algum lugar
>áreavip.gif
>a área vip era lotada de bebidas
>não tinha uma depósito abaixo de 8/10
>no buffet tinha camarão e lagosta
>mano do céu era a festa mais foda que eu ja tinha ido
>quando olho pro lado ta o Maicão atracado com uma mina
>dois minutos depois a mina larga ele e agarra outra mina
>ÉOQ?!
>aquilo tava parecendo um bacanal grego
>uma coisa no entanto me incomodava
>quem teria nos convidado?
>avisto a anfitriã da festa, aquela ruiva 10/10
>ela se aproxima de mim lentamente
>mano do céu, paudureci na hora
>só conseguia imaginar eu enfiando o pau tão fundo nela que quando eu terminasse ia ta na camada do pré-sal
>a calça aperta e ela percebe que estou preparado para o abate
>fico sem graça e tento disfarçar
>ela vem por trás de mim, ri e diz que eu fico lindo com vergonha
>gelei na hora
>caraio, era a Thais - pensei
>pergunto se ela era a Thais
>ela ri e me chama de idiota.
>diz que seu nome é Raquel
>caraio, ela nao tinha nada a ver com a Thais
>errei feio, errei rude
>pensei que tivesse estragado minha chance
>raciocinando com a destreza de um crackudo na fissura e digo:
>é porque thaislinda com essa roupa
>ela ri, eu rio, segue o jogo
>nessas horas eu nem sabia mais que existia um Maicão
>só pensava em mergulhar naquelas tetas magníficas
>na boa, se ela fosse minha mãe eu mamaria até hj
>quando olho pro lado o Maicão tava agarrado com duas ao mesmo tempo
>bodyshot.gif
>caraio o Maicão tava levando uma surra de peito na cara enquanto bebia e eu no 0x0
>me aproximo da ruiva já na maldade
>ela chega do meu lado
>põe a mão no meu ombro e fala na minha orelha direita:
>quem é esse teu amigo?
>poooooooooooorra.mp3
>o moleque ja tinha catado duas e agora ia catar a ruiva
>tive vontade de mandar ela se fuder, mas ele era meu brother, não podia prejudicar ele
>nenhuma depósito ficaria entre nós
>não deu nem 10 minutos do momento que disse o nome dele pra ela e ela ja tava agarrada nele
>a ruiva chupava a língua dele como se fosse o último picolé do verão
>avisto uma depósito 9/10 dançando sozinha
>penso em me aproximar, mas antes que eu chegue a ruiva puxa ela e põe na roda com o Maicão
>ja não entendia mais nada
>eu sempre pegava as depósitos +/10 do que ele e agora ele tava numa orgia de bocas e eu sem nada
>começo a beber
>realizo que ta na hora de baixar as expectativas
>avisto uma ananzinha 5/5 escorada no balcão
>me aproximo dela e pergunto se o pai dela era padeiro
>ela pergunta se era pq ela era um sonho
>eu digo que era pq eu queria comer a rosca dela
>sério que anã rabuda do carai
>a anã me dá um tapão e sai de perto
>vsf que festa merda do carai
>comecei a beber descontroladamente pra compensar a frustração
>dou em cima da garçonete
>a garçonete era uma trans
>ela me esnoba e vai embora
>vômito.rar
>caraio nem a mulher com rola me quis
>decido que hoje não é meu dia e que ta na hora de voltar pra casa
>procuro o Maicão pra ir embora cmg
>vejo ele entrando no carro com duas 1,5 depósitos
>pensei que ele tivesse indo pra um motel ou algo do tipo
>ele tava de mãos dadas com a ruiva e com a anã 5/5
>a ruiva olha pra mim, da uma risada e depois um xauzinho
>caraio que raiva daquela ruiva
>me esnobou e agora vai dar pro meu brother
>faço sinal pro Maicão que vou embora
>ele grita “Oklahoma”
>era nosso sinal secreto
>significava que ele ia realizar o ato de socação intra uterina e que eu não deveria incomoda-lo
>entendo o recado, dou meia volta e volto pra casa
>chegando em casa
>tudo girava por conta do álcool
>brinco um pouco com o o Visconde de Sabugosa até ele cuspir
>durmo
>no dia seguinte acordo com dor de cabeça, deitado no sofá
>percebo que tinham 537272717 chamadas não atendidas no meu celular
>todas do Maicão
>imagino todas as desgraças do mundo
>comeco a ligar de volta mas ele nao atende
>recebo uma ligação de um número desconhecido no meu celular
>é uma mulher
>ela ria descontroladamente
>disse que estava na festa o tempo todo me observando
>pergunta se a noite foi boa e se eu peguei alguém
>mando ela tomar no cu e digo que peguei a mãe dela
>ela racha o bico e diz que é impossível pq a mãe dela foi a primeira a pagar oq devia
>gelei na hora
>reconheci a voz
>era a Thais
>ela começa a contar seu plano do mal
>diz que foi parar num orfanato depois daquele episódio
>que apanhou muito da família onde foi parar mas a família era podre de rica
>a família produzia festas tipo o tomorrowland
>viajaram pra fora do país e levaram ela junto
>disse que por muito tempo quis se vingar mas a família não dava a foda
>dois meses atrás a família tinha morrido num acidente de carro e ela ficou como única herdeira
>ela pôs como meta de vida concluir a vingança que passou anos arquitetando
>disse que a festa foi planejada por ela
>que todas as depósitos da área vip foram contratadas por ela baseadas no meu tipo de mulher
>pergunta como me senti não pegando ngm e vendo o meu “amiguinho” catando todas
>respondo que a vingança dela era uma merda e que tava feliz pelo meu brother
>ela racha o bico e diz que a vingança dela não era me deixar sem pegar ngm
>ela queria se vingar dele por ele ter dedurado ela
>pergunto qual vingança há em encher a rola dele de depósito
>você verá - ela me disse
>desligo o espertofone e percebo que chegou uma mensagem do Maicão no oqueapp
>faz uma semana que o Maicão toma mais coquetel que o Amaury Jr.
pica relatada da mensagem
https://preview.redd.it/9o5g9y8ep3n51.jpg?width=1080&format=pjpg&auto=webp&s=3dbefd7c59d10e7b40b9168ddac79176762f8591
submitted by JustCallMeLyraM8 to gtsdezbarradez [link] [comments]


2020.09.02 18:10 gusuniverse Pessoas com ansiedade ou Síndrome do Pânico: qual foi o primeiro sintoma que sentiam?

E aí gente, tudo bem? Semana passada, eu passei mal, tipo como se estivesse com a pressão baixa. Como era impossível eu me deslocar imediatamente ao hospital (eu estava só em casa), fiquei apavorado achando que era um problema súbito. Tirando o coração acelerado e o nervosismo, só senti isso mesmo. Aferi a pressão arterial e estava 14/10.
Como no começo do ano eu fiz uma série de check ups cardiológicos devido a uma suspeita de hipertensão, voltei ao médico supondo haver alguma ligação entre o meus sintomas. Resultado: o cardiologista me encaminhou para um psiquiatra supondo ser Ansiedade ou Síndrome do Pânico. Disse que eu estava bem do coração, sem nenhuma doença e que, por ser jovem (tenho 24 anos), era desnecessário eu “viver” no cardiologista.
Entretanto, eu fiquei confuso porque não me lembro de ter sofrido nenhum trauma ou abuso na minha vida. Quer dizer, desde criança eu sempre fui meio hipocondríaco. As manias típicas TOC assombraram a minha adolescência inteira (mas nunca cheguei a um diagnóstico médico sobre, só os meus sintomas que eram muito parecidos). Até hoje esses pensamentos intrusos me afetam, porém numa escala muito menor do que era na juventude. Todavia, pelo que eu vejo na internet e redes sociais, há sempre um “gatilho” pra despertar as crises de ansiedade, certo? Como problemas na família e namoro, desemprego, baixa autoestima, insegurança com a aparência e sexualidade e essa própria pandemia do coronavírus. Mas nada disso é o meu caso.
O que vocês acham? Eu devo me consultar com um psiquiatra ou a causa seria mais “orgânica”, devendo procurar outro cardiologista? Agradeço desde já!
submitted by gusuniverse to desabafo [link] [comments]


2020.08.02 23:40 biakkkk SER RAPPER MULHER NA CENA BR

Sou cantora de trap (um subgênero do RAP) e estou iniciando a carreira.. como muitos sabem pra quem conhece a cena de rap é a mais suja que tem, eles se crescem encima de brigas e desrespeito (estou generalizando pois é a maioria mesmo!). Enfim, conseguir um feat sendo mulher é bem complicado, pois não é fácil achar um cantor mente aberta e que saiba diferenciar as coisas. Por tanto tentei pra caralho e finalmente escolhi o FEAT perfeito. Fizemos o feat e cada um fez a música, banquei a viagem e fui até a casa dele pois o estúdio dele é no seu quarto. Chegamos e foi tudo bem, tinha drogas, bebidas.. mas achei melhor a gente falar sobre a música, então ele propõe em comprar algo pra comer para a gente ficar mais confortável antes de começar a produzir pois é exaustivo.. então pedimos comida japonesa (lockdown atrapalhou pois a entrega estava em 3/4h) e até chegar ele preferiu ver uma série.. vi que ele estava desvirtuando muito sobre o propósito deu estar ali, comecei a puxar assunto da música e ele disse então que íamos fazer mas que ele ia fumar um pouco antes, lançou um bong e começou a fumar, ficou me arrastando e acabei indo na onda.. a brisa bate e ele fica dando encima de mim (obs: ele sabe que namoro)... percebo que foi tudo articulado para apenas me comer. Kkkkkk ele então fica forçando e acaba começando a ficar desconfortável, eu tento puxar a música e ele diz que está muito chapado para gravar, e quanto mais eu tento sair mais ele força, e então consigo ir embora. Perdi 1 dia, uma viagem de 5 hrs e fiquei em crise de ansiedsde a noite toda. é isso. Se você for artista não confie em ninguém! Ainda mais se for mulher. E quando dizem que a cena brasileira é complicada, realmente. É.
submitted by biakkkk to desabafos [link] [comments]


2020.07.29 20:42 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

(Postei primeiro no desabafos, mas resolvi postar aqui também)
O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.
Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.
A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.
A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha
Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to sexualidade [link] [comments]


2020.07.29 20:24 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.

Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.

A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.

A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha

Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to desabafos [link] [comments]


2020.07.25 04:23 YatoToshiro Ultradimension Games #4 Hyperdevotion Noire


https://preview.redd.it/pop2gd6eywc51.png?width=510&format=png&auto=webp&s=b7fd1d69edb20b4b5f7ab0882bd9b05f12b7bb07
Lee-Fi Lee-Fi é uma jovem apaixonada que usa o punho para falar. Por isso, ela é má com pessoas indecisas e acredita que apenas pessoas fortes valem alguma coisa. Ela está sempre em busca de alguém que possa ser mais forte que ela e incentiva um desafio. Quando seu interesse é escolhido, ela escuta com total intenção. Ela pode ser egoísta e rude, mas também se importa com os amigos.
Ela é a primeira dos generais a aparecer ao lado de Noire no começo. Depois que Noire acredita na tradição de uma mulher chamada Eno e joga Gamarket no Caos, os Generais desertam e agem de forma independente.
Lee-Fi é o primeiro general a luta da CPU depois que ela derruba a secretária de Noire. Ela perde e é levada em custódia. Ela desafia Noire para o primeiro desafio que vê: um pôster de um concurso de beleza e, apesar de tudo, Lee-Fi saiu correndo do palco chorando de vergonha. Mais tarde, ela decide que quer lutar contra Lid, outro dos generais. Mais tarde, ela concorda com a proposta de Resta de fazer com que os generais a combatam para ver se as convicções de Noire eram verdadeiras. Após a derrota de Resta, Ela, juntamente com Lee-Fi e Lid concordam em ajudá-la.
Lid Lid tem uma personalidade legal e séria, mas quando coisas irracionais acontecem, ela cospe comentários venenosos. Ela tem medo de desenvolvimentos inesperados, armadilhas e se esconde em uma caixa de papelão, tendendo a ser cautelosa com o ambiente.
Além disso, quando a situação se desenvolve muito além de suas expectativas. Ela também costuma se atrapalhar com suas próprias palavras..
Ela é vista pela primeira vez no início do jogo com Noire e seus outros generais.
Depois que Noire leva Gamarket ao caos, alguns soldados de Lid foram vistos perseguindo Resta, que estava em um estado enfraquecido. Ela pede desculpas por suas ações e foge.
Mais tarde, ela é vista em sua própria cidade, tentando prender os outros processadores. Quando ela é confrontada por Noire, ela os desafia. Ela perde e concorda em ser detida.
Em seu momento, ela espia Noire enquanto toma banho e a ouve falando sobre Lid ser um ídolo, o que contraria tudo o que ela representa. Depois que ela é descoberta, ela cai da abertura no chuveiro de Noire e é punida por isso.
Quando Resta se recuperou, Lid explica que Resta pisou em sua própria mina terrestre. Depois disso, ela concorda com a proposta de Resta de fazer com que os generais desafiem as CPUs a testar a convicção de Noire e, depois de derrotadas, ela se junta a elas como uma espiã da equipe.
Resta Resta parece uma criança pequena, mas por dentro é uma garota forte e uma pessoa com bom senso. Quando ela olha para a falta de jeito de Noire, mesmo quando criança, ela se preocupa. Inesperadamente, ela adora histórias de adultos e se interessa por coisas pervertidas. Mas ela não tem experiência nessa categoria e parece exibir uma pequena quantidade de inocência.
Estelle Estelle é uma pessoa com uma disposição brilhante e simples. Ela parece muito inocente e se considera uma heroína em busca de coisas lendárias. Mas suas ações nunca são feitas com más intenções, embora ainda a envolva em problemas ...
Ein Al Uma misteriosa mulher-espada, à primeira vista ela tem uma atmosfera séria e fria sobre ela. Mas ela está simplesmente (com toda a intenção) exibindo sua elegância, a chamada Chuunibyou.
Ein adora usar palavras difíceis para parecer mais madura, mas na ocasião ela mostra suas cores verdadeiras.
Moru O mais novo dos comandantes militares, Moru está cheia de energia e uma inocência natural. Ela pode parecer um pouco ingênua e se apressa a entender as coisas de uma maneira única. Sabe-se que seus sentidos são fortes, o suficiente para detectar inimigos ocultos.
Poona Pacifista gentil e com um jeito preguiçoso de falar, Poona encontrará coragem para enfrentar qualquer coisa se vir alguém que conhece ou se preocupa com problemas. Seu ponto de charme é o bombom na cabeça.
Ai Masujima Ai Masujima adora cantar e dançar com as amigas. No entanto, mexa com ela, ela fica fria, semelhante a Plutia.
Ela aparece no capítulo 4: Rest @ rt. Neste capítulo, Ai está tendo problemas para encontrar Vert e é encontrado por Eno, que está desconcertado com seu idioma. O CPU encontra-a sendo atacada por monstros, resgata-a e diz que ninguém é permitido entrar em Lowee. Ela interpreta o papel da vítima inocente até Blanc retornar e ressalta que ela foi responsável pela lavagem cerebral dos cidadãos de Lowee.
Lee-Fi é baseado em Chun-Li do Street Fighter. A tampa é baseada em Snake, do Metal Gear Solid, e usa uma faca para lutar. Resta é baseado na forma infantil de Ellis / Fiona, da Record of Agarest. Estelle é baseado no herói masculino de Dragon Quest 3 e usa uma espada e um escudo. Ein Al com duas tatuagens de espadas no rosto é baseado em Final Fantasy. Poona é baseado em Opuuna. Moru é baseado na série Monster Hunter e usa uma maça para lutar.
Ai Masujima é baseado na franquia The [[email protected]](mailto:[email protected]).

https://preview.redd.it/477hia9jywc51.png?width=510&format=png&auto=webp&s=4a405ce4a6799a91ad1b14dc180161d262c902e0
Ryuka Ryuka é uma mulher de pele clara com olhos azuis brilhantes. Seu cabelo é castanho e preso ao lado em dois cachos grandes e enrolados de comprimento uniforme. Ela veste uma flor vermelho-rosada no lado direito.
A roupa de Ryuka consiste em uma blusa vermelha reveladora com um dos quatro botões abotoados, diretamente abaixo do peito, enquanto a blusa é mantida fechada por um broche de ouro com uma flor detalhada. Impresso na camisa é um dragão preto. Isso é usado com uma jaqueta branca solta com mangas vermelhas, uma saia curta branca com faixa preta e uma fenda cortada na lateral colorida com pano vermelho. Ela também usa meia calça com um par de polainas brancas com detalhes em vermelho, preto e dourado. Seus sapatos são plataformas brancas e pretas com um rubi em cada dedo do pé.
Blossom Aisen Blossom tem uma pele clara e olhos roxos claros. Ela tem cabelos loiros, curtos e claros, com um corte infantil irregular, com a franja cobrindo o olho esquerdo. Ela usa um pedaço de cabelo roxo com adornos em ouro.
Blossom usa uma blusa branca com uma marca de forma de diamante cortada no peito e uma peça preta e dourada em volta do pescoço. Isso está embaixo de uma jaqueta roxa brilhante com detalhes dourados e pretos e um diamante de ouro nas laterais segurando-a fechada sobre o estômago. Sobre os ombros, ela tem um pano branco em miniatura com forro dourado e desenhos florais vermelhos. Por baixo da jaqueta, Blossom também tem um pedaço de material preto que gira em torno da metade inferior e um par de longas luvas brancas sem dedos. Ela também tem calças apertadas com temas cinza e preto com detalhes brancos e sapatos pretos.
Tsunemi Tsunemi não consegue expressar bem seus próprios sentimentos e tem uma maneira não natural de falar, como um robô. Ela é muito sensível aos sentimentos internos de outras pessoas e acha que só pode expressar seus verdadeiros sentimentos quando canta.
Tsunemi é uma garota de pele pálida, com olhos azuis profundos e cabelos loiros longos e pálidos, usados em tranças, seguradas com peças em círculo pretas com detalhes rosa.
Ela usa um vestido com um top revelador apenas cobrindo a frente. Consiste principalmente em preto e possui detalhes em azul pálido / esbranquiçado, ouro claro e azul escuro. Acima dos seios, no centro deles, e na parte inferior da saia, há material translúcido rosa. Ela também tem uma barra de música azul na região da virilha, cercada por quatro botões rosa com um X, O, triângulo e quadrado. Ela também usa mangas pretas e botas altas, ambas com detalhes em rosa e meias brancas um pouco mais longas.
Wyn Wyn é uma garota de futebol vigorosa e positiva. Ela é muito gentil com os outros e nem um pouco egoísta, embora possa ser meio simples. Ela é legal com amigos e estranhos.
Wyn é uma garota de pele clara e pálida, com olhos cianos brilhantes e cabelo castanho claro curto, usado em um rabo de cavalo preso por uma faixa vermelha.
Ela veste uma blusa azul solta com detalhes em azul mais escuro, dourado e branco. No peito, há uma seção de vermelho e laranja com um J azul escuro ao lado. Ela também usa shorts brancos e azuis sobre um par de leggings azuis escuras, de comprimento curto, tênis azuis com detalhes em azul e branco escuros e uma esfera azul na língua de cada dedo, uma gargantilha azul escura e uma pulseira de ouro.
Lady Wac Uma garota indescritível com uma propensão a provocar os outros até que os deixe com raiva. Sua idade é um segredo, mas comparada à maioria, parece que ela está pelo menos uma geração à frente deles, devido ao seu interesse em jogos retrô e ódio à juventude. Sua maior característica parece ser o fato de ela gostar de comer, implicando uma natureza gulosa.
Lady Wac é uma garota de pele clara e clara, com longos cabelos loiros pálidos, que são usados em tranças bufantes e franja comprida cobrindo os olhos. que são laranja. Na cabeça, ela usa uma faixa de babados roxa escura com um grande laço amarrado que tem uma peça central laranja e um pequeno diamante ao lado.
Wac usa um vestido rosa escuro com detalhes de babados roxos escuros e um pescoço correspondente, com um pequeno pingente de ouro no centro para combinar com os botões abaixo do peito, que são cobertos por um material translúcido. A saia do vestido parece ser muito folhosa e comprida, com detalhes em violeta claro e rosa pálido, além de uma pequena criatura azul que sai do bolso e uma cereja colorida no laço. Ela também tem meia-calça branca, maryjanes pretas com presilhas de morango para se parecer com doces cobertos de chocolate e rosa escuro, mangas no braço.
Generia G Uma super capitã que pode fazer qualquer coisa, desde que tenha a ver com máquinas. Ela é a líder da Minerva.
Generia é uma garota de pele pálida, com olhos dourados e um pequeno par de óculos vermelhos. Seu cabelo é pálido, amarelo chiffon e cortado na altura dos ombros, usado com um chapéu de capitão branco e preto com detalhes dourados e um rubi no centro de um deles.
A Generia usa uma roupa com temas cinza, branco e preto, fortemente decorada com detalhes em branco, preto, vermelho, dourado, azul e marrom claro. Em volta do pescoço, uma gola branca com detalhes dourados e vermelhos, além de ombros dourados e grandes mangas brancas de braço com forro dourado nas partes vermelha e marrom clara. Ela também usa uma faixa preta com uma parte colorida no centro, luvas brancas e sapatos brancos tipo mech com preto e prata na parte superior e vermelho na parte inferior com grandes algemas brancas ao redor do tornozelo.
Saori Uma garota com um verdadeiro coração de donzelas. Outros dizem que ela seria a heroína principal em qualquer sim de namoro. À primeira vista, ela pode parecer uma garota normal e normal da escola, mas não deixe isso te enganar. Ela pode lutar com os melhores!
Saori é uma garota de pele pálida, com olhos rosados e cabelos ruivo claro. Ela tem franja curta e um pouco de cabelo usado para emoldurar seu rosto, enquanto o resto é usado em um rabo de cavalo que atinge seu estômago. Perto do final do cabelo, parece uma coloração rosa pálida, e o cabelo é decorado com pequenas flores brancas e um clipe de coração rosa e oco.
Saori veste um uniforme escolar azul claro com um laço de chiffon pálido e camiseta branca por baixo, junto com um pequeno coração rosa cortado no centro do peito. Ela também usa calças de cor azul, que podem ser uma saia ou um par de shorts pregueados, meias brancas com linhas rosa no topo e botas curtas marrons soltas.
Ryuka é baseado na franquia Yakuza. Blossom Aisen é baseado em Sakura Wars Tsunemi é baseado em Hatsune Miku do Vocaloid e usa música para lutar Wyn é baseado em jogos de futebol, possivelmente Winning Eleven pela Konami. Lady Wac é baseado no clássico jogo de arcade Pac-man. Generia G Provavelmente é baseado nos jogos da Gundam Generation game Saori possivelmente é baseado em Tokimeki Memorial's Shiori Fujisaki

https://preview.redd.it/kt0iit5nywc51.png?width=510&format=png&auto=webp&s=b495872ca0121dec8d12cde3ec1f66be29c0eeb0
Vio Especialista em lidar com surtos de vírus, o Vio está muito acostumado a lutar. Ela tem uma personalidade peculiar e pode parecer um pouco feliz, embora saiba que é melhor exagerar na maior parte do tempo.
Vio tem cabelos verdes na altura dos ombros e olhos vermelhos. Sua roupa é preta com detalhes dourados e consiste em uma blusa de gola alta levemente esfarrapada, luvas brancas sem dedos, calça quente com pernas com zíper destacadas, botas brancas e algum tipo de coldre de cinta dupla na coxa direita.
Muitos aspectos do design de Vio na arte conceitual também mostram que ela é influenciada pela série Resident Evil (BioHazard no Japão); seu design geral parece inspirado em algumas das versões mais recentes do personagem 'Jill Valentine', e ela tem uma pequena criatura mutante verde / pelúcia no ombro esquerdo, segurando um guarda-chuva - na série Resident Evil, a Umbrella Corporation é responsável para o desenvolvimento original de muitos dos "vírus zumbis" mutantes ao longo da série, e seu logotipo é praticamente idêntico a uma visão de cima para baixo do guarda-chuva que o mutante da Vio está segurando. Sua arma de escolha é uma arma de cano longo, de águia do deserto, que é uma arma vista em muitos jogos da franquia Resident Evil.
Sango Sango acha que ela possui autoridade para agir mandona na frente de todos. Ela gosta de provocar e assediar os outros, e parece ser sádica e possivelmente masoquista, implicada pelo fato de que ela não odeia ser punida.
Sango é uma garota pálida, de pele clara, com pequenos olhos roxos e cabelos castanhos muito compridos. Ela tem franja arrumada e adequada para enquadrar o rosto, com poucos fios soltos na frente das orelhas e uma parte complicada que amarra o cabelo em quatro tranças circulares com tranças finas. Ela usa um ornamento roxo claro com detalhes dourados que se assemelham a uma borboleta e peças vermelhas opacas.
Seu traje consiste em uma túnica chinesa roxa vermelha e escura com detalhes dourados. Abaixo do peito, há um pano verde claro com um segmento preto por cima, com detalhes dourados, um cordão de baga brilhante e uma gema roxa clara no centro com uma gigantesca corrente de contas douradas. Seus sapatos são simples, sandálias pretas com saltos dourados e grossos.
Litte Rain Little Rain é uma garota de pele clara, com olhos azuis opacos e cabelos brancos muito compridos, que geralmente são soltos, mas tem uma fita roxa na parte inferior.
Ela usa um vestido bronzeado cremoso que seria revelador, se não fosse o top marrom chocolate usado por baixo dele com um pingente de ouro e roxo no meio, abaixo dos seios. Que combina com o pedaço do pescoço segurando as tiras de creme de seu vestido. Abaixo do ombro, ela tem mangas marrons chocolate e, em volta da cintura, há uma peça branca e prateada, segurando uma saia rígida marrom chocolate que revela seu vestido no meio. Decorar as partes marrons de sua roupa são detalhes em ouro. Enquanto seus sapatos são brancos, com detalhes marrons e dourados e orbes roxos em cima.
Vio (originalmente Capcom, que vazou como uma arte conceitual para Victory) está fazendo sua estréia neste jogo. Ela é baseada na franquia de Resident Evil (conhecida como Biohazard no Japão). O Sango é baseado no Sun Shang Xiang dos Dynasty Warriors e usa um Guan Dao Halbard. Little Rain é baseado na série Neverland.
submitted by YatoToshiro to Excalibur_Brasil [link] [comments]


2020.07.22 02:58 ddtxt1111 TERMINEI O NAMORO, ACONTECEU UMA COISA... E AGORA??

Olá, tinha uma namorada até poucos dias atrás, tínhamos 3 anos de namoro, perdemos a virgindade um com o outro e sempre fizemos tudo juntos desde que começamos. Alguns dias atrás comecei a sentir algo diferente, e comecei a desconfiar dela e ela de mim, exageradamente. Decidi terminar pois eu tava desconfiando e sempre falava pra ela que tava pensando que ela tava fazendo algo errado, e ela disse que isso tava irritando muito ela, mas ainda continuamos conversando, pois estava difícil sair de vez um da vida do outro, até que ela me provou que não tinha acontecido nada, mas eu ainda estava meio relutante, até que ela me disse que ia no aniversário da tia dela e depois voltava pra casa dos avós ou vinha pra minha casa. Desde esse momento comecei a sentir algo ruim, e como de costume, desconfiei. Ela tinha bebido, e começou a me responder meio seca, pois entendo que eu estava perturbando. A sensação ruim começou a piorar e ela não me atendia, e minha desconfiança aumentava. Na madrugada, eu estava assistindo série, e me deparei com uma mensagem dela dizendo que tinha dormido, acordou aquela hora e queria conversar comigo aqui na minha casa. Quando ela chegou, dormimos um pouco e conversamos, e foi aí que veio o baque, ela disse que bebeu muito e tava muito puta com minhas mensagens, e transou com outro cara. Nessa hora meu mundo caiu, rasguei e quebrei todos os presentes que ela me deu, devolvi o dinheiro, e mandei ela sumir da minha vida, pois não tenho autoestima e nem confiança em mim mesmo, então apesar de ela negar, sei que transar com outra pessoa foi melhor que comigo, e mesmo sabendo que ela estava solteira e tinha o direito de fazer o que quisesse, me magoou pois sempre foi muito forte nossa química e toda aquela coisa de termos transado só um com o outro na vida toda, e isso simplesmente foi quebrado. A questão é que hj, dois dias depois, ela disse que deu um fora no cara, quer transar comigo, e até voltar a namorar, insistindo que eu faço tudo certo na cama e é uma sensação totalmente diferente comigo pois já nos conhecemos, sabemos tudo que o outro gosta, e sempre faço ela gozar. Mas não sei o que fazer, pois me sinto inferior ao cara, em todos os sentidos, e sei que na hora do sexo não vou conseguir fazer nada lembrando dela sentindo prazer com outra pessoa. Me ajudem, queria saber uma opinião de alguém de fora dessa história, imparcial. Devo voltar? Foi só sexo, nada demais? Devo realmente continuar separado devido aquela coisa toda envolvendo eu ter feito sexo só com ela e ela comigo ter sido quebrada? Não sei se tô certo ou errado, só quero saber o que outras pessoas fariam.
submitted by ddtxt1111 to relacionamentos [link] [comments]


2020.07.22 02:53 ddtxt1111 TERMINEI O NAMORO, ACONTECEU UMA COISA... E AGORA? Senta que lá vem história...

Olá, tinha uma namorada até poucos dias atrás, tínhamos 3 anos de namoro, perdemos a virgindade um com o outro e sempre fizemos tudo juntos desde que começamos. Alguns dias atrás comecei a sentir algo diferente, e comecei a desconfiar dela e ela de mim, exageradamente. Decidi terminar pois eu tava desconfiando e sempre falava pra ela que tava pensando que ela tava fazendo algo errado, e ela disse que isso tava irritando muito ela, mas ainda continuamos conversando, pois estava difícil sair de vez um da vida do outro, até que ela me provou que não tinha acontecido nada, mas eu ainda estava meio relutante, até que ela me disse que ia no aniversário da tia dela e depois voltava pra casa dos avós ou vinha pra minha casa. Desde esse momento comecei a sentir algo ruim, e como de costume, desconfiei. Ela tinha bebido, e começou a me responder meio seca, pois entendo que eu estava perturbando. A sensação ruim começou a piorar e ela não me atendia, e minha desconfiança aumentava. Na madrugada, eu estava assistindo série, e me deparei com uma mensagem dela dizendo que tinha dormido, acordou aquela hora e queria conversar comigo aqui na minha casa. Quando ela chegou, dormimos um pouco e conversamos, e foi aí que veio o baque, ela disse que bebeu muito e tava muito puta com minhas mensagens, e transou com outro cara. Nessa hora meu mundo caiu, rasguei e quebrei todos os presentes que ela me deu, devolvi o dinheiro, e mandei ela sumir da minha vida, pois não tenho autoestima e nem confiança em mim mesmo, então apesar de ela negar, sei que transar com outra pessoa foi melhor que comigo, e mesmo sabendo que ela estava solteira e tinha o direito de fazer o que quisesse, me magoou pois sempre foi muito forte nossa química e toda aquela coisa de termos transado só um com o outro na vida toda, e isso simplesmente foi quebrado. A questão é que hj, dois dias depois, ela disse que deu um fora no cara, quer transar comigo, e até voltar a namorar, insistindo que eu faço tudo certo na cama e é uma sensação totalmente diferente comigo pois já nos conhecemos, sabemos tudo que o outro gosta, e sempre faço ela gozar. Mas não sei o que fazer, pois me sinto inferior ao cara, em todos os sentidos, e sei que na hora do sexo não vou conseguir fazer nada lembrando dela sentindo prazer com outra pessoa. Me ajudem, queria saber uma opinião de alguém de fora dessa história, imparcial. Devo voltar? Foi só sexo, nada demais? Devo realmente continuar separado devido aquela coisa toda envolvendo eu ter feito sexo só com ela e ela comigo ter sido quebrada? Não sei se tô certo ou errado, só quero saber o que outras pessoas fariam.
submitted by ddtxt1111 to desabafos [link] [comments]


2020.07.11 07:49 espiritossuperiores O relacionamento interpessoal

O relacionamento interpessoal pode ser compreendido como uma área da psicologia e sociologia que estuda a relação de uma ou mais pessoas levando-se em consideração as suas origens, contextos culturais e localização atual dessas pessoas quando se relacionam.
Eu sendo um homossexual que se atrai exclusivamente por heterossexuais, por ser fadado ao eterno desprezo ou no máximo piedade deles, eu acabo impactos negativos nos meus relacionamentos interpessoais que me deixam em desvantagem em muitas situais, creio que os outros gays que sofram do mesmo problema irão aqui identificar os mesmos problemas que eu. Se você quiser que eu acrescente uma situação de relacionamento interpessoal aqui, deixe de forma clara a situação e o impacto que ela causa em sua vida, nos comentários abaixo.

  1. A timidez, muitas vezes estamos em um grupo onde precisamos tomar alguma atitude antes que algo pior nos aconteça, como você é gay e sente que ali ninguém tem afinidade com o tipo de vida que você tem, você acaba se fechando para não constranger aos outros e a si mesmo.
  2. Recalque: você sente muita atração por homens mas os seus colegas só sabem falar de assuntos sexuais inúmeros da farta sexualidade heterossexual deles, aí então quando você fala algo como um comentário elogiando um rapaz no meio da conversa, todo mundo fala em tom de nojo: ” iiih, que papo estranho!”, “sai fora!”, “o papo tá indo pra um lado estranho!”, enfim, todo tipo de desaprovação e ataque sutil psicológico contra você é lançado, fazendo com que você cale e se recalque no que queria falar ou expressar, consequentemente você começa ficar no grupo por obrigação e não por prazer.
  3. Ostracismo: os relacionamentos interpessoais é comum termos eventos onde unam-se pessoas para variados fins lúdicos, um exemplo disso são as festas de final de ano das empresas, nessas o constrangimento é menor pois você é obrigado a ir, agora quando os seus amigos fazem uma festa particular entre eles onde não se envolve a empresa, todos são convocados, menos você por ser diferente, por ser gay, você acaba então se sentido no ostracismo mas finge que tudo está normal com um sorriso amarelo no rosto.
  4. Desafios de carreira: todos nós na vida moderna temos uma série de cobranças de desempenho para atender, todos gerenciam isso com amortecedores psicológicos para deixar a vida menos tensa, heteros são cobrados para irem bem na faculdade, no emprego e em casa, você também, mas os heteros contam com barzinhos como porta de entrada para sexo farto, namoros em todos locais, adultérios e etc, todos remetendo à válvula de escape do sexo desvairado sempre pronto para acontece, você não, você é cobrado das mesmas coisas mas não conta com amortecedor tão forte como o sexo e a paixão correspondida, logo o seu desânimo para fazer as coisas é maior ou o desânimo dá lugar para o ódio e você fica uma pessoa que desempenha tudo com ódio descontado nos outros em suas atividades interpessoais.
  5. Inadequado: Você precisa de uma profissão mas aquela que você acha, exige uniformes ou fardas que lhe fazem se sentir um heterossexual sendo que você não é, aquela profissão lhe forja uma sexualidade que não é sua, consequentemente você acaba atraindo pessoas que não gosta e se sente um peixe fora da água, o que acaba fazendo a sua vida profissional ser tóxica ou curta.
  6. Redes sociais da depressão: você usa as redes sociais de forma intensiva mas percebe que ninguém do sexo pretendido interage com você, mesmo com a sua presença forte nessas redes, você nota que ninguém curte as suas postagens, suas fotos postadas ninguém nem comenta, deixando clara a sua falta de amizades e popularidade baixa a todos, você então se deprime pois ao se comparar com aquela sua amiga mulher repara que qualquer coisa sem valor que ela posta, tem milhares de curtidas e desejos de vida melhor para ela por parte do sexo oposto, você se sente inadequado e acaba excluindo a sua rede social.
  7. Distanciamento social: você percebe que suas brincadeiras são sempre recriminadas ou não entendidas pela maioria dos integrantes do seu grupo, você também nota que as pessoas sempre evitam ficar sozinhas com você em um lugares públicos para evitarem levar ‘má fama’ de terem um caso com você, os seus colegas falam horas e mais horas sobre assuntos que você não entende em sua frente sem constrangimento algum por você não interagir, é o caso do clássico debate futebolístico entre machos onde você fica sempre ‘sobrando’, então cada vez você começa a querer ficar longe das pessoas e romper as poucas ‘amizades’ que tem.
  8. Constrangimento em nome do grupo: hoje em dia as pessoas se sentem muito ofendidas por serem rotuladas de “anti sociais” então para evitarem essa rotulação aceitam qualquer tipo de constrangimento do ‘bom’ relacionamento em grupo ficando horas entre rapazes que ficam falando todos os tipos de coisa ruins contra homossexuais , mulheres e negros, tudo é tolerado e no fim a pessoa se sente horrível moralmente mas com o dever social cumprido.
  9. Repudio à datas comemorativas: você sabe que no meio heterossexual as pessoas usam as datas comemorativas como desculpa para obterem mais divertimentos entre amigos e aumentar as suas possibilidades sexo-afetivas, porem você sabe que quem é gay e gosta de hetero não desfruta das mesmas vantagens, sendo assim, qualquer feriado ou data comemorativa para você, lembra o seu ostracismo social, consequentemente você acaba ficando indiferente a todas elas, ate mesmo em relação a data do seu aniversário. Você não tem muito o que comemorar.
  10. Horror a barzinhos: você anda nas ruas e vê aqueles heteros lindos , sorridentes, felizes e aparentemente no cio, sempre gritando ou fazendo algo estúpido para chamar a atenção das mulheres para si e muitas vezes são as mulheres que fazem esse papel, você então fica triste pois embora aqueles homens sejam todos do tipo que você aprecia, eles são violentos e repudiam veementemente homossexuais, se você vai a bares gays, você sabe que lhe chegarão outros homens gays que não lhe causarão absolutamente nada, alem disso você corre o risco de num bar gay ser alvo de grupos radicais de extrema direita, por tudo isso você acaba evitando a vida noturna onde mora e fica 24 horas em cima de um computador com internet.
  11. Vulnerabilidade: por você sofrer todas as situações acima, numa relação interpessoal você acaba estando mais vulnerável quando precisar brigar por seus direitos ou pelo seu ponto de vista, mesmo você estando certo, você por ter um comportamento rotulado de antisocial acaba gerando antipatia gratuita nos outros e as pessoas tendem a acreditar e considerarem mais as pessoas “sociáveis” e sedutoras, veja-se o exemplo do Hitler que beijava criancinhas e seduzia os seus fãs com alguns sorrisos, ele ganhou carta branca para fazer o que fez graças também à sua sedução social, então, uma pessoa que aparentemente é antisocial ela passará uma imagem de ruim e sem credibilidade, quando uma pessoa “social” então inventar alguma mentira contra você para lhe colocar em uma encrenca, as pessoas darão mais crédito a ela do que você que é um gay “esquisito” que não se mistura com ninguém, por isso, socialmente o gay que gosta de hetero é muito vulnerável e num debate corre serio risco de ser “fuzilado” injustamente pelos colegas.
submitted by espiritossuperiores to gay [link] [comments]


2020.07.08 14:56 xDark0x Levei um fora da minha ex que ainda amo

Olá! Então, é minha primeira vez aqui escrevendo, e estou um pouco nervosa pois nunca fiz isso antes, tenho dificuldades em falar sobre o que sinto e tal, mas chegou à um ponto em que realmente preciso desabafar. Vou explicar tudo com datas pra ficar mais fácil. Ultimamente venho passado por uma série de eventos os quais me deixaram muito mal. Tenho uma ex namorada, a primeira e única com quem me comprometi até hoje (tenho 18 anos), em março de 2018 conheci ela através de uma amiga e desde então nos demos muito bem. Desde que a conheci já despertou um interesse e sentimento em mim. Tínhamos várias coisas em comum, gostos musicais, forma de ver o mundo e afins. Logo nos tornamos muito próximas, confiavamos tudo uma na outra e após uma jogada de charme aqui, umas coisinhas românticas ali (kkk) Consegui conquista-la. Isso em junho. Namoramos por 6 meses, muito felizes, mas devido uma interferência da família dela, que ficou sabendo de nós duas por intermédio de uma professora do colégio que conhece a mãe dela, (fdp fofoqueira) tivemos que nos separar. A mãe dela me contatou e com base em ameaças de contar à minha família, me fez confessar nosso relacionamento. Depois que o sangue esfriou e fiquei "mais calma", me senti muito mal, pois senti que à traí, me senti mal por acreditar na mãe dela (que considerando a pessoa que é não merece confiança) que disse não fazer nada com ela se eu falasse tudo. Paramos de nos falar, e como já era dezembro, estavamos de férias e não nos víamos (só tínhamos oportunidade de nos ver na escola). Só no ano seguinte, no primeiro dia de aula consegui contata-la e descobri da forma mais dolorosa possível que não sentia mais nada por mim e me odiava pelo que fiz. Me senti péssima, por ainda à amar e pela situação em si, que não saía da minha cabeça. Tivemos só essa conversa e depois nos distanciamos novamente (por escolha dela). Lá pra junho do ano passado, ela começou a dar sinais de querer voltar a falar comigo, depois de longas conversas sobre esse assunto, finalmente nos entendemos, mas não totalmente da forma como gostaria. Ela disse novamente não me amar mais. Foi doloroso, mesmo já tendo ouvido-a dizer antes. Ela estava passando por momentos terríveis com a família. Não é uma pessoa tão fácil de lidar (a criação ajudou um pouco nisso), então falar com ela naquela época foi bem complicado. Queria ajudá-la mas ela não permitia que eu o fizesse. Arduamente fui conquistando a confiança dela, até que desabafava comigo e eu tentava ajudar da forma como podia. Aos poucos ela foi melhorando e fomos resgatando a amizade e por ainda nutrir sentimentos românticos por ela, as vezes dava umas cantadinhas bobas, mas as vezes sérias também (Claro que não no momento que ela estava fragilizada, mas sim nos de descontração, para deixar bem claro). Em setembro nos aproximamos mais e finalmente consegui com que ela demonstrasse gostar de mim da mesma forma que eu dela. Pouco tempo depois a família novamente descobriu a gente, da mesma forma que da outra vez, mas dessa, eu estava de certa forma mais forte. Bom, consegui conversar com a mãe dela sem demonstrar medo pelo menos. Chegamos à conclusão de que realmente não dava pra ficarmos próximas na escola. e em meio à isso tudo, pedi ela em namoro pela segunda vez. Dessa, não mantinhamos o contato de antes, muito raramente ficávamos juntas, já que ela era de outra turma. mas passando o tempo começamos à relaxar um pouquinho e passar ainda mais tempo juntas, sempre que podíamos, porém com mais cautela. Dessa vez, durou 2 meses e meio, de outubro à metade de janeiro. Ela terminou comigo de novo, não por deixar de sentir, mas eu estava passando por questões pessoais (que até hoje estou lidando, e que me incomoda bastante falar). Como ela além de namorada era minha melhor amiga, falei com ela por mensagem sobre o assunto, e depois de conversar, de um dia inteiro completamente estranho e nós indiferentes, eu por me sentir mal por estar daquele jeito, ela acredito que por não estar acreditando e por lamentar a situação, no fim do dia ela terminou tudo. Foi terrível pra mim, confesso que fiquei com raiva de certa forma, pois queria ela do meu lado para enfrentar aquilo, eu estava apavorada sem saber o que se passava direito na minha cabeça. Mas no fundo, por trás de tanto sentimento ruim, entendia que era direito dela. Era total direito dela decidir onde ficar e até onde pode aguentar também, nunca foi uma relação fácil, e não posso exigir de alguém o que eu faria dentro da relação sendo que somos pessoas diferentes. Ainda mantinhamos contato, mas de forma meio estranha, até que ela começou a demorar muito para responder e por fim, sumir por dois meses. No aniversário dela em maio, fiz um pdf com várias mensagens e desenhos (felizmente sou boa com desenhos) e mandei para o email dela, isso sem muita pretenção, apenas como forma de carinho. Depois de 7 dias me respondeu pedindo desculpas por não ter visto já que não olhava o email (algo totalmente válido pois também não olho hehe) e dizendo que se eu quisesse voltar a manter contato que gostaria. Voltamos a nos falar por outra rede, diferente da que nos falávamos antes, e foi tudo muito bem, ainda demorava para responder, mas não posso cobrar já que deve ter as ocupações dela, assim como tenho as minhas. Embora sempre dê aquele desapontamento e dúvida sobre ser "importante" ou não kkk. E à partir de agora voltamos ao que está acontecendo atualmente. (Estou resumindo o máximo que posso pra não ficar maior do que já está.) Há umas três semanas, em uma conversa casual ela perguntou brincando se eu ainda sentia o mesmo por ela, e eu muito envergonhada disse que sim. No outro dia, acordo com um texto dela (ela gosta muito de escrever) falando sobre amor, sobre estar apaixonada por alguém que sempre atrai ela de volta e por isso quer manter em segredo. Automaticamente me animei e fiquei profundamente feliz, "ela ainda me ama!" Pensei. E dessa vez sem eu mesma ter que correr atrás. Escrevi algo respondendo à ela e mandei uma letra de música que gostava muito pra que ela ouvisse. Ela disse que escreveu aquilo aleatoriamente, mas sabe quando você vê que a verdade não é aquilo que a pessoa diz? Enfim. Foram assim as últimas três semanas, com textos românticos que se encaixam perfeitamente na nossa história, respostas minhas, e mais textos que também mandava pra ela. Ela sempre respondia dizendo que ficaram muito bonitas as coisas que escrevi, e era o mesmo que eu dizia para os dela, obviamente direcionados para uma pessoa, mas que por conta da primeira fala dela de querer "manter em segredo" eu não entrava em detalhes, embora estivesse crente de que eram para mim. Textinho vai textinho vem, perguntei se o que ela escrevia era para alguém (Isso já confiante de mim, mas queria que "confessasse") depois de enrolar um pouco para falar, acabou dizendo e era o nome de outra garota :) Fiquei sem entender nada, não sabia como reagir. Me senti uma idiota por ter imaginado que era pra mim e ao mesmo não entendia como aquilo encaixava tanto em nós e em outra situação. Não conheço a menina, mas aparentemente não à corresponde, enfim. Me senti tão mal, principalmente por ter pensado que as coisas eram pra mim e ter descoberto de uma forma tão brusca. Fui conversar com ela para tentar esclarecer tudo e foi até bem rude ao responder. Disse que não via mais futuro em nós e não queria mais a confusão que era "estar comigo". Isso aconteceu ontem, e até agora não sai da minha cabeça. Dormi pensando nisso da mesma forma que acordei hoje e foi a primeira coisa que veio à cabeça. Não é a primeira vez que acontece situações que me deixam assim, em relação à ela. As vezes parece que estamos em um looping infinito sabe? Pois sempre passamos pelos mesmos momentos, desde os complicados, aos de investidas minhas e a "volta do amor" dela, que é algo que me deixa com muitas dúvidas por dentro, pois poxa, que amor é esse que eu preciso ir atrás? E sinceramente, isso me deixa com tantos questionamentos e angústias, eu realmente à amo, e me sinto uma idiota por isso. Eu odeio me sentir dessa forma sabe? As vezes odeio ser dessa forma. Me sinto idiota por ser tão intensa em ralação aos sentimentos, principalmente numa época em que isso é pouco levado em conta por muita gente. Ocorre um misto de emoções, angústia, tristeza... Por tudo que já aconteceu e pelo que estou sentindo agora. Tenho dúvidas reais sobre nosso fututo, não sei o que pode acontecer conosco, se podemos ficar juntas, ou se realmente estamos fadadas à seguir caminhos diferentes; e isso é uma das coisas que mais me apavora, não saber o que irá acontecer, se esse sentimento por ela vale realmente a pena ou estou apenas perdendo tempo em minha vida, numa coisa que não terá fundamento. Me sinto afogada nesse misto de sensações, sentimentos de amor e tristeza que não sei como fazer passar.
Não sei se alguém vai ler até o final porque realmente ficou enorme kkk, mas de qualquer forma já vale o desabafo. Não tenho ninguém para falar sobre isso
submitted by xDark0x to desabafos [link] [comments]


2020.06.29 03:46 richardtrle Há uma semana eu disse que passei por conflitos com minha mãe, eu decidi me mudar de casa, esta é a segunda parte do meu desabafo

Pra quem não viu meu post anterior, segue o link abaixo:
https://www.reddit.com/brasil/comments/helm42/minha_m%C3%A3e_disse_pra_mim_n%C3%A3o_assisto_a_globo_eles/
Mas basicamente eu vinha me envolvendo em uma série de conflitos com minha mãe. Que culminou em uma quebra de imagem por minha parte que tinha dela. Eu admirava minha mãe, achava que ela era uma forma de virgem Maria, que tinha me colocado no mundo pra ser seu Messias e pagar pelos seus pecados.
Essa imagem que tinha dela se quebrou, e achei isso tão ruim, por que eu tive essa mesma sensação com meu pai em 2003, ano em que meus pais se separaram devido a uma traição ridícula que foi perpetrada por meu pai. Eu achava que meu pai era meu super herói, mas descobri que havia um histórico de traições e que inclusive minha mãe havia contraído infecções sexualmente transmissíveis por conta disso, marca que carrega consigo até os dias de hoje.
Tínhamos uma ótima relação, ela era minha confidente, me apoiou (mesmo que com ressalvas) quando me assumi bissexual, disse que respeitava. Inclusive lutava contra a família por conta de dizeres preconceituosos e piadinhas em torno do assunto "meu nome". Era minha parceira de filmes e séries, fazíamos pipoca, avaliávamos o filme e depois íamos dormir. Era até terapêutico para ela, ela sofre de insônia e apneia do sono, então assistir algo era quase que sonífero para ela. Porém, por conta de politicagem, cegueira e teimosia de encarar os fatos, a verdade, tudo isso se desfez.
Inenarravelmente estamos em uma pandemia que atingiu nossa era. Centenas, posso até dizer que milhares de famílias estão sendo desfeitas, vidas estão sendo ceifadas em proporções jamais vistas na era moderna. O nosso país está no protagonismo mundial, e de uma péssima maneira. Isso mostra que o povo brasileiro está completamente desunido e até mesmo destruído por conta de crenças. Crendice barata de esquerda vs direita, de desafiar a luz que a ciência provê, de uma "eterna" luta contra o comunismo e de endeusamento de políticos. Enquanto os políticos apenas enriquecem a troco dos impostos, pagos por nós cidadãos. Deveríamos cobrar deles, eles são nossos funcionários, mas brasileiro é um povo atrasado em vários aspectos, políticos é apenas um deles.
Enfim, eu fiquei essa semana passada inteira sentindo um enorme vazio, foi uma ruptura do meu ser. Eu não sabia quem eu era, eu não sabia o que estava sentido, eu sequer consegui olhar pra ela, minha mãe, com os mesmo olhos. Eu amo minha mãe, eu continuarei amando, mas aquela mulher que habitava o mesmo lar que eu foi corroída por esse revisionismo histórico, essa onda de notícias falsas e correntes de whatsapp, não é a mesma mulher que me criou.
Porventura um amigo meu me disse no Domingo, dia 21 que estava pagando aluguel e que seu senhorio não estava fazendo qualquer abono no valor, inclusive por 4 meses. Ele falou que pensava em devolver o imóvel, mas ao mesmo tempo não tinha como, pois todas as suas roupas, móveis e utensílios domésticos estavam neste imóvel. Ele foi pra sua cidade natal, e lá ficou preso por conta da pandemia.
Foi tempo o suficiente pra eu maturar a ideia de que ele poderia me sublocar o imóvel, eu arcaria com parte das despesas, assim ficava bom pra ele e pra mim. Ele topou na hora, o grande problema foi que não avisei pra ninguém, nem com quem eu namoro. O segundo choque também foi, eu fiz tudo de um dia pra o outro. Foi uma espécie de mudança relâmpago, acionei um tio meu que estava quarentenado, falei a situação, ele topou. Trouxe poucas coisas, meu rig, uma cadeira, travesseiro e poucas peças de roupa. Afinal ficarei boa parte do tempo também em quarentena.
Resultado, me mudei de cidade. Foi um risco que passei, foi, mas eu julgo que valeu a pena. Não só pelo fator mãe, minha cidade está um escárnio. Sexta-feira o centro da cidade estava lotado, nem parecia que existia preocupação de que mais de 55 mil pessoas haviam morrido. Parece que as pessoas estavam nem ai que no período de apenas uma semana quase 300 mil novos casos foram registrados. Tinha muita gente na rua, gente inclusive sem máscara. Então eu juntei isso todo e me mudei.
Sabe o que é engraçado, eu me mudei pra me isolar... ha ha ha
Bem é isso, agradeço a todos que postaram anteriormente e aqui segue o desfecho dessa parte em minha vida. Fica aqui meu relato e meus sentimentos.
submitted by richardtrle to brasil [link] [comments]


2020.06.22 23:48 ContaNovaPqToTriste Meu namorado está jogando The Last Of 2 sem mim e isso me deixa muito triste

Eu estou na minha semana de provas da faculdade, essa semana e a próxima na verdade. Por causa disso eu não estou podendo jogar videogames/ver séries no mesmo volume de sempre.
Meu namorado comprou The Last of Us 2 logo na estreia, a gente está jogando desde sábado.Hoje, porém, eu não pude jogar. Aliás, provavelmente não vou conseguir jogar a semana toda, por causa das provas/trabalhos.
Meu namorado decidiu continuar o jogo sem mim e caralho pqp eu to muito triste com isso. Não to puta ou com raiva, estou TRISTE real. Estou usando todas as minhas forças pra não chorar enquanto escrevo isso. To me sentindo um lixo e, em 6 anos de namoro, essa é a primeira vez que eu questiono se quero estar nesse relacionamento ou não. Eu sei, parece ridículo e bobo, e provavelmente é mesmo, mas pqp que facada no coração. Eu achei o cúmulo da falta de noção e respeito, além de extremamente egoísta. Tenham em mente que ele nem sequer gosta da série, jogou o 1 comigo meio que "obrigado" (o preisteicho é dele). Ele sabe o quanto eu gosto desse jogo, o quanto eu estava ansiosas pro TLoU2, esse foi o único Trem Da Hype™ que eu embarquei nessa minha vida sofrida de gamer pobre.
E o pior de tudo é que eu vou acabar engolindo toda essa história e chorando sozinha no banho pq o videogame é dele, o jogo foi ele quem comprou, ele trabalhou o dia todo (home office) e merece o lazer dele no final do dia. Quem sou eu pra proibir o que e quando ele joga, não é mesmo?
Ah, e em tempo: ele perguntou sim se podia jogar sem mim. Eu estava numa call com o pessoal do projeto da faculdade (entrega sexta que vem), ele botou a mão no meu ombro e perguntou "eu posso continuar jogando, né?". Quando eu olhei pro espelho e vi a TV (estudo na mesa da sala pq é maior) o jogo já estava pausado em um ponto diferente de onde a gente tinha parado. Eu só engoli seco e disse tá bom, não tinha tempo pra discutir ou formular uma resposta melhor.

É isso, obrigada, me recomendem filmes tristes para eu ter uma desculpa válida pra chorar hoje
submitted by ContaNovaPqToTriste to desabafos [link] [comments]


2020.06.04 21:31 lysguil Preciso de conselhos e analisem a situação pra mim por favor

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda. Eu estou abrindo minha alma e coração nesse texto, direi toda a verdade
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to desabafos [link] [comments]


2020.06.04 19:02 lysguil Preciso de um conselho ou dois

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda.
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to brasilivre [link] [comments]


2020.05.02 02:53 mat47777 Desabafo

Caros amigos, foi a maior besteira que podia ter acontecido comigo, na real.
Mas sei que é engraçado rir da desgraça alheia, vou lhes dar essa alegria Se não quiser ler a hora de sair é agora ok? vamo lá
Resumo até aqui - Namoro com ela a 8 meses, nesse tempo fui na casa dela umas 10 vezes no max, passando sempre menos de meia hora. O motivo = o pai ***** Mais quando eu falo *****, é ***** mesmo, o cara sempre me esnobou, das vezes que nos cruzamos o maluco fez questão de me fazer eu me sentir um *, me humilhar e tripudiar. Além do fato de eu comer a filha dele, o outro motivo pelo qual ele me odeia é aquela clássica diferença de classe. Não sou pobrão, mas meu trabalho não é la essas coisas e eles são de família rica, gerações e gerações de engenheiros e tal, rios de grana. Daí beleza. O maluco achar que eu to alí por causa do dinheiro ja é um motivo escroto, tendo em vista que a filha é linda, e se não fosse rica eu olharia do mesmo jeito, mas *, FAZEM 8 MESES, custa o maluco levantar bandeira branca e ficar em paz?
Então, minha família foi viajar pra casa de uns parentes... eu trabalho, não pude ir. Quando você namora,e sua namorada não curte seus amigos, inevitavelmente você se afasta dos caras. É o famoso "ou eles ou eu". Sem família,distante dos amigos, não tinha outra alternativa a não ser ficar com ela no natal. Eu odiei a idéia, lógico, mas ela insistiu, disse que não tinha problema e que tudo ia acabar bem, Ô.
A TRETA- Vamos pular pra ceia, Ja podem imaginar que o sogrão gente boa além de não olhar na minha cara,fez questão de mandar indiretas,a fim de humilhar este fodido que vos fala, com uma série de acontecimentos. Primeiro acontecimento: A empregada servindo todo mundo,chegou na minha vez ele INTERROMPEU a mulher,falou pra ela deixar os negocios em cima da mesa lá que eu sabia me servir sozinho, que tava acostumado com self-service. Imagina aí ja minha cara de lixo.
Minha namorada fez um olhar de tristeza e me serviu, eu pensei em outras coisas, tentei relevar. Segundo acontecimento: Meu telefone tocou,minha mãe querendo dar feliz natal,fui atender na inocencia,ele deu UM SOCO na mesa, -VOCE NÃO SABIA QUE ISSO É FALTA DE EDUCAÇÃO NÃO ? "MALANDRO". Essa minha mãe ouviu,levantei da mesa e fui falar com ela. A essa altura,vocês ja imaginam o quão puto eu tava, dane-se a ceia, dane-se tudo, nem fome eu tinha mais.
Minha namorada deu uma disfarçada, perguntou quem era, falei baixinho que era minha mãe. Daí o fdp TINHA que fazer piadinha com a minha mãe né caras, Quando ele ouviu fez o comentário,dessa vez direto pra mim: -E a patroa da sua mãe deixa ela ligar pra celular? é muita folga, empregada folgada assim comigo só se fode. Não dava mais,eu ia me sentir um BOSTA pro resto da vida se eu não quebrasse os dentes do fdp ali mesmo Tá bom que ia acabar o namoro, que ia acabar com o natal da família, mas ofender assim alguém que nem ta ali pra se defender, ser motivo de gracinha praquele lixo de pessoa.
Toquei o dane-se, não lembro exatamente as palavras porque tava muito nervoso, mais foi mais ou menos isso: -ESCUTA AQUI Ô SEU MONTE DE BOSTA,VOCÊ QUERER TIRAR COM A MINHA CARA JA DURANTE 8 MESES É UM BOM MOTIVO PRA EU TE QUEBRAR,AGORA OFENDER A MINHA MÃE SEM MAIS NEM MENOS. daí ele gritou: -FALA BAIXO, SEU FAVELADO e jogou o copo em mim, acertou meu braço. Imagina o caos que tava essa mesa, namorada tentando me segurar,a esposa puxando ele,a irma dela autista chorando, Eu naquele ódio ja tava disposto a matar ele ali msm. Ele veio,dando a volta na mesa igual um touro pra me pegar,eu firme encarando ele,enquanto ele vinha eu via a janela da sala de jantar grande de fundo
Vi o que parecia ser uma aeronave não tripulada pequena passando rápido, logo atrás uma especie de exoesqueleto metálico armado com uma metralhadora, de repente, um estrondo ensurdecedor seguido de um clarão.Era o início da era das máquinas.
submitted by mat47777 to orochinho [link] [comments]


2020.05.01 03:25 biasann O caminho difícil pra chegar nos meus sonhos

Oi, sou nova aqui.. Não sei bem como mexe nesse app, mas vi esse grupo e muita gente desabafa aqui, então resolvi compartilhar com vocês o que eu ando passando. Para alguns pode ser algo idiota, (até porque existem pessoas que lidam com problemas reais, depressão, pobreza, doenças, etc) mas para mim anda sendo o que me aflige todos os dias.
Eu desde nova sempre fui muito criativa, fazia desenhos incríveis, aprendia qualquer matéria com muita facilidade, tudo o que eu fazia era bem feito. Você já estudou com alguma uma menina no fundamental que tinha toda cor de caneta colorida? Então essa era eu. Caderno sempre impecável. Aos 8 anos meus pais se separaram. Eu fui morar com minha mãe, somente eu e ela, via meu pai a cada 2, ou 3 anos mais ou menos.. Morava em Uberlandia-MG, mas como minha mãe achava muito perigosa a cidade para criar uma filha sozinha nos mudamos para uma cidade pequena de Goiás.
Me mudei aos 11 anos, isso em 2010, e comecei uma vida nova. Estava no 7° ano (era adiantada, pq já morei fora do país). E aconteceu que acabei repetindo de série. -Já não era mais adiantada! ☹️- Quando consegui passar para o 8° .... Repito.. Outra vez. E a mesma coisa se passou no 9°. Resumindo: Eu bombava uma vez, passava, bombava, passava. Bombei 3x.
A partir do momento em cheguei nessa cidade, perdi o interesse em estudar.Juntamente com o desinteresse vinha a loucura da puberdade..Aos 14 aprontei mais do que uma adolescente poderia aprontar. (Aprontar no sentido de: beijar muito, pular muro, ir em muitas festas, dar Pt, ser falsa, xingar a mãe, voltar de madrugada, usar drogas)
No final dos meus 16 anos conheci um homem, 10 anos mais velho que eu (inclusive era meu Sensei (prof de karatê) rsrs) e namoro com ele até hoje. Ele me fez mudar, evoluir, amadurecer e me ajudar a tornar a pessoa que sou hoje. Teve um ano ou outro que eu estava super focada em estudar e era uma das melhores da classe. 2018 terminei o 3° ano. Nesse ano fiz prova do Encceja (pra terminar estudos), bombei na redação então tinha que ir na escola para fazer as matérias de linguagens. Foi o melhor ano! Aprontei o ano todo, ficava atoa na sala de aula. (Aprontei no sentido de fazer muita bagunça e beber dentro da sala, lembrando que eu estava namorando).
Mas aí veio 2019. MEU DEUS! O QUE EU FAÇO AGORA???
Passei no vestibular para Letras-Português e Espanhol. (Faculdade 100% online)
-Gosto muito de Espanhol, como morei na Espanha quando era pequena sou fluente, então gostaria muito de trabalhar com algo que fez parte da minha vida. Meu sonho também é aprender inglês, japonês e coreano. Também escolhi essa faculdade porque na minha cidade, como é pequena, não possui muitos professores de Espanhol, sempre está em falta. -
Você deve pensar: ah, perfeito então, só estudar e já era! ✨😍
Só que não. Quem disse que consigo estudar? Disse mais cedo que meu namorado mudou minha vida, me fez ser uma pessoa melhor. Mas mesmo com ele não consegui recuperar a vontade de ser alguém que eu tinha quando criança. 2019 foi um ano desperdiçado, eu comecei a primeira matéria (Educação Inclusiva) muito empolgada, estudei, fiz a prova, passei, tirei nota super alta. Mas no final do semestre eu tinha que fazer um trabalho (super simples, com introdução, des e conclusão) e por não fazer acabei bombando no semestre inteiro.
No segundo semestre eu entrei em um app que contrata profissionais para fazerem trabalhos e paguei um para fazer. Porém, eu não tinha realizado as atividades online do segundo semestre, então não adiantou passar no semestre, né?
2020 chegou e estou no terceiro semestre. Matérias acumuladas, eu pago 230 por mês nessa faculdade que eu consigo desperdiçar todos os dias 😔 As matérias acumularam e estou pagando mais R$ 100 todo mês para repor. + Dinheiro desperdiçado né??
Todo dia é uma luta EU vs EUZINHA para eu colocar na minha cabeça que tenho que estudar. Eu entro no ambiente Virtual, olho, mas não tenho a CORAGEM de tirar algumas horas para estudar. Lembrando que: MINHA FACULDADE É SUPER FÁCIL! apenas um trabalho por semestre, 1 prova por mês e algumas atividades e vídeo aulas pra ver e realizar.
Me pego pensando as vezes, porque é tão difícil pra mim, porque não consigo realizar meu sonho? Porque eu sou tão descrente? Porque sou tão inútil ao ponto de não conseguir fazer uma faculdade tão fácil?? Eu queria essa coragem que as pessoas tem para estudar o tempo todo. Eu tenho objetivos, planos, mas não consigo realizá-los. Queria voltar a ser aquela criança criativa. Não quero colocar a culpa em alguém, não é justo. Mas penso as vezes que nunca tive pessoas para me incentivar.
Você deve pensar: "Ah, mas vc viajou para fora do país, como ngm te incentivou? Viaja pra fora do país quem tem dinheiro, quem conquistou coisas" -é aií que se engana! Na verdade não sei de onde meu pai tirou dinheiro na época para viajar. Meu pai era apenas((não no sentido de menosprezar a profissão, ok?! No sentido de ganhar pouco!))um lanterneiro, foi comprando uns carros usados, reformando e juntando dinheiro. Com a ajuda da irmã dele fomos morar na Espanha durante 2 anos e meio.
Estou há meia hora escrevendo, não sei se alguém irá ler até aqui, mas enfim, agora mesmo preciso fazer o trabalho do 3° semestre, para o dia 16, mas quem disse que consigo? Compro cadernos, marca textos para me incentivar, porém não sai nada. Parece que meus sonhos estão cada dia mais longes, porque a pessoa aqui não consegue vencer um simples obstáculo.
Admiro você, que tem objetivos em mente e não desvia do caminho. Eu cada dia me sinto mais uma perdedora. Sem contar que minha memória é péssima, não sei se é por conta da maconha, das pingas ou de falta de treino de cérebro mesmo. Obrigada por ler até aqui, escrevi isso e desabafando me sinto melhor.
Irei tentar ser alguém melhor para mim. Aliás, "tentar" NÃO. Eu irei conseguir.
submitted by biasann to desabafos [link] [comments]